O contrato de emprego, seja um CDI ou um CSD, permite reunir as modalidades da relação de trabalho em que o empregador e o empregado concordaram. Sua modificação unilateral é, portanto, uma violação contratual, uma vez que “convenções legalmente treinadas se encontram na lei àqueles que os fizeram” (artigo 1103 do Código Civil). A redação de um contrato de emprego escrito torna possível reduzir quaisquer conflitos no caso de o empregador gostaria de fazer tal mudança.

Quando uma emenda é prevista, é, portanto, princípio obrigatório., E Mesmo nos casos excepcionais em que o contrato de trabalho foi concluído oralmente, para fazê-lo através da assinatura de uma emenda ao CDD ou do CDI. Este é um documento acessório para o empregador e funcionário do empregador para formalizar uma mudança na relação de trabalho. No entanto, a lei do trabalho distingue dois tipos de modificações, que não obedecem as mesmas regras.

De fato, em relação ao seu poder de decisão, o empregador tem o direito de fazer certas modificações baixas magnitude sem ser condicionada pelo acordo do empregado em causa, dentro do limite de violação excessiva aos seus direitos. Estamos falando de mudanças nas condições de trabalho, que não exigem que o empregador possa impor-lhes sobre o empregado, com exceção de funcionários protegidos cujo acordo ainda é necessário quando suas condições de trabalho evoluam. Isto é, por exemplo, alterações na organização interna da empresa, uma mudança levando a uma mudança no local de trabalho que permanece na mesma área geográfica, a adição de uma tarefa à custa do funcionário que tem as qualificações necessárias, mas também de modificações antecipadas pelo contrato inicial (por exemplo, uma cláusula de mobilidade). Se a recusa de tal mudança incidental sozinha não puder justificar uma demissão, constitui uma má conduta profissional que o empregador tem o direito de punir.

Por outro lado, as mudanças nas condições essenciais. Do contrato de trabalho, assimilado Para um questionamento do próprio contrato, exige a assinatura de uma alteração, que formaliza o acordo do empregado com as mudanças previstas. A jurisprudência não admite a validade do acordo do empregado, mesmo que lhe dava oralmente e, na verdade, buscando trabalhos nas novas condições, desde que uma alteração não seja concluída nesse sentido. Da mesma forma, o silêncio do empregado sobre uma alteração proposta não vale a pena aceitação, exceto no caso específico de uma modificação do contrato de razão econômica. Um empregador que modifica o contrato de emprego de seu funcionário sem emenda é exposto ao que o dito funcionário obtém perante o Conselho de Prud’Mmes, ou para ser reintegrado em suas antigas condições de trabalho, ou ter um modo de que ele permita que ele seu contrato de trabalho ou solicitar a terminação judicial. Os efeitos são então os mesmos que os de uma demissão sem uma causa real e grave (compensação, aviso, licença paga).

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *