o mecânico aeronáutico boliviano, Erwin Tumeri, um dos seis sobreviventes do acidente que decimou o brasileiro Club Chapecoense em 2016, sobreviveu na terça-feira a um sério acidente de treinador em seu país que fez 21 pessoas.

“Eu fui para quatro pernas” do treinador robusto. “Eu fui ferido com o joelho, pensei, de novo! Não é possível!”, Disse o jornal Los Tiempos de 30 anos, sempre hospitalizado em Cochabamba (centro).

O acidente ocorreu no Manhã terça-feira em uma estrada conectando os departamentos de Cochabamba e Santa Cruz (leste). O treinador caiu em uma ravina de 150 metros. Pelo menos 21 pessoas morreram e 30 ficaram feridas.

“O ônibus enrolado, eu tomei o assento antes, sabia que ia nos esmagar, porque estávamos indo em alta velocidade”, disse aos trinta anos. “Eu me penduro, eu não soltei até tocarmos o chão”, disse ele, dizendo que ele estava “não inconsciente” na chegada do alívio. “Eu me sinto abençoado. Eu sempre dou graças a Deus”, acrescentou ele.

Erwin Tumiri fazia parte da tripulação da aeronave da empresa boliviana Lamia que havia esmagado em 28 de novembro de 2016 perto de Medellin, Colômbia e causou a morte de 71 pessoas. Entre eles, 19 jogadores do Clube Brasileiro Chapecoense, que foram para a cidade colombiana para competir na final da partida Go Copa Sudamericana.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *